NEOARQUEO
17 junho 2007
  Estrada da Época Liberal: Viseu/Mangualde














Em Abril do ano passado, o Zel, do Blog Roda de Pedra, publicou nesse seu espaço as fotos da Via Romana de Roda. O meu amigo João Ferreira, que me orientou geograficamente, forneceu-me elementos bastante interessantes que recolhi e vos trago agora. Trata-se de facto de um troço muito bem conservado da Via Romana que vinda de Viseu se dirigia a Mangualde. Terá sido esta via utilizada durante a Idade Média? E durante a Idade Moderna? Bom, não sabemos. Porém, é interessante verificar que um pouco mais acima, no seguimento desta via, se encontra um troço cujas características deixam antever uma calçada duma fase bem mais recente da História. A foto mostra-nos claramente o troço e a maneira como foi construído: o eixo da via marca a centralidade da mesma e é daí que irradia toda a construção, em pedra miúda. São características totalmente diferentes das calçadas romanas. No cruzamento desta via com a actual estrada da Roda /Mangualde podemos observar um Marco, em granito, que identifica esta antiga via, e reza assim:” Estrada para Mangualde Ano de 1820”. Bem, se esta via não é da época Liberal, foi pelo menos utilizada naquela altura.
Não restam dúvidas que estamos perante a antiga estrada de Viseu/Mangualde, que na zona de Fagilde mete à Roda e daqui para Mangualde. Poderemos, de alguma forma, afirmar que a ligação mais importante de Viseu a Mangualde se fez por este trajecto e que é antiga desde o tempo dos romanos, Idade Média e Época Liberal?
Ficam estes testemunhos que alguma história nos contam…Deixo-vos as fotos…A 1ª foto é da Via Romana.
 
<$Comentários$>:
Cada vez que visito este blog, só me dá vontade de dizer: as coisas que eu não vi (ou vi, sem saber) em Mangualde quando era adolescente, nas férias que passsava em casa do me avô!
É impossivel que não me tenha crizado com alguns destes vestigios, pois eu e os meus irmãos andavamos sempre em expedições pelo meio do mato!
A vida tem destas coisas, mal eu sabia que um dia me viria a tornar arqueóloga!

pedrinha rolante
 
No Largo Pedro Álvares Cabral (penso que é assim que se chama auqle largo junto ao palácio) existe um troço de calçada que pertencia a esta via.
E acho que existia lá um marco dantes a indicar a direcção Viseu.
 
Exactamente, Pedro. Junto á "nova" fonte que agora lá existe.
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Os meus parabens, Tavares por esta e outras magnificas postagens.
E esta via romana de que falas, penso que seria esta, tinha seguimento para Chãs de Tavares. Podemos encontrar como sabem vestigios ainda bem conservados por exemplo em guimarães de tavares
um abraço
 
Mais uma achega.
Esta estrada era uma ramificação da Estrada Real de Viseu para a Guarda, que não passava em Mangualde, como a EN 16, mas sim em Quintela de Azurara, daqui ia para as Chãs e depois entrava em Terras de Algodres, talvez em Alpaioques onde está o viaduto da A25, sobre o vale da Canharda, e por baixo ainda se conserva um bom troço de calçada (acho que sobreviveu ao viaduto da A25).
No Arquivo Histórico das Obras Públicas existem mapas que atestam estes dados, assim como o Roteiro Terrestre de Portugal editado em 1814.
 
Guimarães de Tavares, em letra maiuscula. Escrevi em letra minuscula "Guimarães de Tavares", porque tenho o hábito de escrever em letras minusculas.
um abraço
 
Muitissimo interessante!!!

Um abraco.

Ps: se for aos meus sitios, vera ai uma oportunidade para um encontro de amigos!
 
Al, está por Fornos?!!!
 
Vou estar a partir do dia 30 deste mes!
 
É sempre bom conhecer atalhos para fugir á bofia quando trazemos alcool sem guias...
 
Antes de mais parabéns pelo blog!
Continue com o bom trabalho!
Convido-o agora a visitar:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Futebol e política num só!
Actualizações diárias!
Já agora se quiser adicionar à sua barra de links laterais esteja à vontade para o fazer!
Obrigado!
 
Pedro, te felicito por esta magnífica site pela grande difusão que está fazendo das vias romanas em Hispania. Deste modo, conociéndolas melhor, poderemos evitar seu contínuo deterioração ou sua total destruição.
No entanto,penso que todas esses caminhos históricos empedrados com grandes pedras (lastras ou lapas) são de época moderna e medieval, mesmo que você digna assim mesmo de proteção. As calçadas romanas iam realizadas com cantos pequenos (gravillas e areias),só levavam pedras grandes nas bordas, sua largura era de uns seis metros (20 pés)e tinham pouca inclinação.
Parabéns por teu trabalho e um forte abraço.
Juan Gil.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar